3,845 words

slowly

Um app que diverge das principais propostas apresentadas pelos tradicionais apps de comunicação e mesmo assim, é incrivelmente agradável usá-lo como meio de intercomunicação, arrisco dizer que é um meio mais propicio para uma interação mais autêntica.

As mensagens demoram até dias para chegar ao destinatário, o que implica, ao meu ver em, e como o próprio site¹ cita, "um ritmo mais lento, porém melhor – uma carta de cada vez". A ideia de escrever uma carta ao invés de uma pequena frase ou expressão e, a demora em que aquela carta leva para chegar ao seu destinatário, te induz a escrever de forma mais elaborada, a escrever mais, em pensar em momentos que, em um meio de comunicação mais rápida, não se lembraria. Você pode começar a escrever hoje, terminar amanhã e só enviar no final do dia próximo dia.

"Um apelido & um avatar é tudo que você precisa" conforme o site apresenta, nada mais, mitigando assim, algum preconceito gerado por algum padrões de beleza e talvez um nome incomum que te traga más referencias. Com uma variedade enorme de personalização do avatar, não a motivos para se preocupar na maneira como gostaria de se apresentar, e não se preocupe em colocar seu nome no perfil, por carta você pode se apresentar melhor.

Ah, o slowly também permite o envio de fotos juntamente com sua carta, mas isso apenas "com seus amigos postais no qual você concedeu acesso", Slowly. Dessa maneira, o slowly resolveria (ou ao menos tenta) o problema de pessoas mal intencionadas em usar esse meio. Se você não confia, simplesmente não de permissão ao remetente de enviar fotos. Existe um limite de 10 fotos que podem ser enviadas a cada 12 horas, para mim é um bom número.

Selos, uma das coisas que não se pode faltar em uma carta. Você consegue colecionar de países e de momentos festivos (páscoa, aniversário, dia internacional do livro etc.), além de alguns nos quais você pode comprar na lojinha deles. Fica tranquilo, não existe nenhum impeditivo no app que é só para usuários premium, e esses selos pagos, no meu ponto de vista, é o meio que eles encontraram de manter o app gratuito e sem anúncios, uma vez que, não existe almoço de graça.

O meio de comunicação mais amigável e humano que já conheci, se assim posso me referir. Em nenhuma das cartas já trocadas fui maltratado ou ofendido, muito pelo contrário, a curiosidade, a sinceridade e a educação sempre estiveram presentes. Talvez uma das coisas que jamais pensei em receber, aconteceu, recebi uma carta de parabéns no meu aniversário.

Poder filosofar sobre aspectos da vida foi uma das coisas que não via desde os tempos da faculdade. Trocar pensamentos e ideias que só são possíveis de forma elaborada são difíceis de se encontrar fora de um ambiente acadêmico, mas no slowly é relativamente comum.

Mas nem tudo são flores, infelizmente nem todo mundo se adapta, então é comum algumas pessoas pararem de responder e/ou antes de saírem, perguntem se podem migrar para um meio "tradicional" de comunicação. Em último caso, dá até para você treinar aquela língua que você está estudando.

Existe app para Android, IOS e uma versão web.

¹https://www.getslowly.com/pb/

desinformação

Já a algum tempo a pauta "desinformação" vem me incomodando pois, vem afetando diretamente meu relacionamento com meus familiares a um ponto que, eu já nem questiono mais o que me é apresentado para não gerar discussões desnecessárias.

São esses, fatos ou informações que chegam a ser intrigante, desgastante de se ouvir e indigerível na visão de quem está por fora desse tsunami de desinformação. É "só" colocar Dr. no começo do nome, falar umas palavras que a maior parte da população desconhece que pronto, o Dr. Fulano falou que é isso ou aquilo.

Mediante a esse desgosto e do excelentíssimo podcast Tecnocracia que me veio o incentivo de escrever esse post. Mais como, uma forma de expor meu atual descontentamento com os meios de informação (digo, desinformação), além de algumas indagações e, apresentar aqui, os motivos ou soluções ao assunto em pauta.

Para tal, irei pegar alguns trechos que o Tecnocracia¹ apresenta para assim, expor alguns pontos em questão. Começando então pela pesquisa² realizada pela Universidade de Nova York que, após analisar alguns milhares de tweets, chegaram à conclusão que, para uma parcela da população, "a notícia não carrega a capacidade de informar, mas de corroborar crenças já solidificadas". Exemplificando, "as notícias, verdadeiras ou não, funcionam como etiquetas identitárias, algo que te identifica com um grupo".

A doutora em ciência política pela Universidade de Notre Dame e pesquisadora Nara Pavão descreve de uma maneira ainda mais clara "a teoria da notícia como etiqueta identitária" após um estudo das eleições de 2018 aqui no Brasil. “A gente acredita quando a informação comprova aquilo que a gente já pensa sobre política e rejeita a que contradiz nossas predisposições políticas. Não existe essa relação direta entre nível informacional e uma percepção maior ou menor de corrupção. Está mais correlacionada com questões de natureza política. Se eu gosto do governo, vou percebê-lo como sendo menos corrupto. Depende dos alinhamentos políticos, e não necessariamente do grau informacional”.

Temos então o ponto pelo qual eu queria chegar. Descobrimos que, um dos, se não o, principal motivo pelo qual alguém acredita em algo que, de um ponto de vista mais distante, é claramente um absurdo, é justamente a predisposição e, o quanto aquela informação condiz o seu atual grau de conhecimento ou crendice sobre aquele fato.

Temos aqui, um aspecto mais claro mas ao mesmo tempo, um outro ponto mais complexo ao meu ver. Voltando ao tópico na qual eu exponho minha preocupação e, colocando um pouco de lado o ponto de "pertencimento" pelo qual o texto do tecnocracia levanta, seria possível "desinformar a desinformação" de uma maneira "equilibrada" e ao mesmo tempo, tão eficaz quanto os boatos e mentiras apresentadas pelos canais de desinformação?

¹https://manualdousuario.net/podcast/tecnocracia-28/ ²https://www.nyu.edu/about/news-publications/news/2018/june/jay-van-bavel-on-fake-news.html

2019

Estou publicando ainda 2019 (23:36) e não em 2020, mas o fuso horário da plataforma Listed está diferente do meu, estando já em 2020.

Vou deixar aqui o melhor de 2019 para mim.

Filme: O Coringa
Canal no Youtube: Quadro em Branco
Blog: Manual do Usuário
Jogo: Frostpunk
Podcast: Tecnocracia
App: Todoist
Série: Mr. Robot
Mangá: One Piece

Minhas maiores conquistas foram: finalizar a faculdade em Ciência da Computação, a publicação de um artigo em um congresso internacional de qualis A2 e ser efetivado em uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil na área de TI.

Um dos maiores aprendizados desse ano: reconhecer meus limites.

faculdade

Quando entrei na faculdade me disseram, "olha, o tempo passa rápido, aproveita que vai acabar quando você menos esperar". Nunca pensei que chegaria a essa mesmo conclusão tão cedo.

Terminei a faculdade, na prática, em três anos e meio, mas na teoria, em quatro pois, acabei vindo de outra faculdade e curso, dando assim, os quatro anos requeridos do MEC. Nesse último semestre foi o mais cansativo e estressante, o semestre com a maior quantidade de acontecimentos que divergem muito dos demais, o semestre que me distancio de algumas das minhas amizades que surgiu desde o meu primeiro semestre na faculdade. Também foi o auge das minhas conquistas, maturidade e autoconhecimento.

Conclusões: nem tudo é o que se está aparente, o tempo passa mais rápido do que o esperado, você irá conquistar boa parte daquilo que você se empenha, gaste energia para o que se é essencial, gerencie energia em vez do tempo, registre suas atividades, as pessoas mais velhas tem mais a te oferecer, conhecimento nunca será o suficiente, aprender é a única coisa que não me deixa entediado.

black friday

Um período de consumismo desenfreado perante o fato de que quase tudo estar "valendo a pena". Só o fato de estar em contato com pessoas que estão adquirindo algo, já me dá a sensação de estar perdendo algo, de estar em desvantagem. Será?

Não vou negar de que comprei e assinei algumas coisas, mas essa ânsia por comprar, por ter, ao pensar sobre, me desanima.

controle financeiro

Quando criança, tive uma forte influencia dos meus pais no tange ao controle financeiro. Eles nos davam uma pequena mesada, meus tios davam dinheiro em vez de presentes, vez ou outra trabalhávamos para nosso pai para ganhar algum trocado e, como não sabíamos como ou onde guardar o que recebíamos, dávamos então esse dinheiro para nossos pais e eles mantinham um caderninho registrando tudo o que tínhamos ganhado e tudo o que tínhamos gastado.

Em meados de 2013 comecei a procura de uma plataforma online para substituir esse controle financeiro que ficava no papel, suscetível a perda e pouco intuitivo (mas eficaz para a finalidade em questão). Foi então que encontrei o organizze¹, uma plataforma simples, com um design agradável e intuitivo ao mesmo tempo que, era repleta de recursos, que para mim, são o suficiente.

É fácil filtrar os lançamentos, gerar relatórios e criar metas dentro da plataforma. Outras funcionalidades como, criar contas (caso tenha mais de um banco), cartão de crédito, anexar arquivos e etc, ajudam muito no panorama geral de como será o seu final do mês.

Para a organização, existem duas possibilidades, adicionar uma categoria e tags. Por padrão a plataforma mantem algumas categorias e só é possível criar subcategorias. Já para as tags, você que vai criando onde, no meu caso, vou criando conforme diferentes gastos vão surgindo.

O aplicativo é excepcional facilitando muito o registro imediato de gastos. Uma das melhores funções é a leitura de SMS para a identificação automática de gastos (privacidade?), e isso ajuda muito no final do mês, poupando um bom tempo na frente do computador.

E por fim, custos. A plataforma tem um plano gratuito que já o considero bem completo, mas caso queira ou precise de recursos como, anexar comprovantes, ter metas e mais de um banco para ter controle, existe a versão premium com custos que, até a data desse post, considero bem justo.

¹https://organizze.com.br

por que listed?

Já faz alguns anos que queria ter um blog pessoal, tive outros projetos com objetivos bem definidos, mas sempre acabava que não tinha tempo, e escrever sobre outros assuntos que não precisava de parar, pesquisar e produzir fugia do propósito inicial desses projeto.

Agora, sobre a plataforma listed¹ foi um processo meio aleatório. Meu objetivo era algo simples, leve e rápido pois, como já comentei, é apenas um blog pessoal. Isso me levou a pesquisar sobre possíveis hosts para sites estáticos e entre as alternativas, estavam o githubpages² e o netlify³, mas o processo de aprendizado para a utilização da plataforma demandava tempo e por conta disso, fiquei postergando até que comecei a usar o standardnotes (irei falar mais sobre em um outro post). Fuçando em suas funcionalidades, encontrei a extensão 'listed' que era o que eu procurava: simples, leve, rápido e com uma curva de aprendizagem quase nula.

¹https://listed.to/ ²https://pages.github.com/ ³https://www.netlify.com/

essencialismo

Estou lendo o livro "Essencialismo" escrito por Mckeown Greg. Ainda estou no início do livro, mas gostaria de registrar alguns pensamentos que foram instigados pelo autor e me fizeram refletir em alguns aspectos da minha vida sendo uma delas, o tenho priorizando nela.

Acredito que a maior parte das pessoas já devem ter ouvido falar de alguns estudos realizados com pessoas em estado terminal onde, foram efetuadas algumas perguntas como: "O que você faria de diferente se pudesse recomeçar?" ou "Do que você se arrepende?", e a maioria das repostas são, "Me arrependo por não ter me arriscado mais" ou "Me arrependo pelas coisas que não tentei, e não das que fiz"...

Essas perguntas me vieram à tona logo nos primeiros questionamentos que o livro propõe, e são vários, mas o que mais me motivou a escrever esse post foi: "E se ninguém mais achasse que estar ocupado é ser importante? E se, em vez disso, comemorássemos o tempo que passamos escutando, refletindo, meditando e aproveitando a vida com as pessoas que mais importam para nós?", e por último, uma citação de Mary Oliver, “Diga-me: o que planeja fazer com sua vida única, fantástica e preciosa?”.

O principal ponto é, estou eu dando real importância para as pessoas que me cercam ou o que realmente importa? Não é de hoje que venho me questionando isso, principalmente o quesito 'pessoas', sendo o primeiro a me apresentar esse lado o meu psicólogo, inclusive, me peguei recentemente "deixando conversar" e ouvir em momentos em que eu normalmente não ficaria.

São questões complicadas e que podem levar a mais questionamentos, mas acredito que alcancei o ponto em que queria chegar.

ferramentas do meu dia a dia

Com o passar do tempo, adquiri ferramentas pelos quais, tenho como finalidade, o melhor gerenciamento e consequentemente, um melhor desempenho no meu dia a dia. Nesse post irei apresentar de forma sucinta cada uma delas e em outros posts, apresento de maneira mais detalhada sobre cada uma das ferramentas.

Protonmail - serviço de e-mail que tem como foco criptografia e privacidade. Tenho desde seu lançado, quando ainda se tinha que entrar em uma fila para conseguir se registrar.

Todoist - serviço de gerenciamento de tarefas/atividades, venho usando a dois anos com a versão premium, vale a muito a pena pelas "infinitas" possibilidades e mesmo assim, com uma interface fácil e amigável.

Bitwarden - gerenciador de senhas open-source com foco em privacidade e claro, criptografia (já comentei sobre ele aqui¹).

Organizze - gerenciador financeiro, sendo ele o mais completo com uma interface fácil e amigável que encontrei, uso desde 2013 como conta primium (serviço que recomendo a versão paga).

Standardnotes - serviço de notas, parecido com o Evernote, mas com foco em criptografia e privacidade, também tenho a versão premium pois acredito que é uma excelente maneira de apoiar um projeto como esse.

Pocket - salvar conteúdo da internet, já tenho ele a uns 5 anos e apenas mantenho as matérias que eu concluo que valem a pena manterem salvas (também uso a versão premium, mas não existe uma real necessidade).

Basecamp - gerenciamento de projetos e equipes, utilizo para os meus projetos de pesquisa, outro serviço que recomendo fortemente para esses tipos de finalidades.

Raindrop - salvar os sites favoritos onde, dentre as soluções equivalentes, essa foi a que melhor supriu minhas necessidades.

Letterboxd - salvar e acompanhar os filmes que saíram e que estão para sair, faz pouco tempo que uso, mas já o recomendaria caso queiram organizar o que quer e o que já assistiu.

Goodreads - salvar e receber recomendações de livros, é bem próximo do que é o letterboxd mas para livros (outro serviço que ainda estou ajustando).

Acredito que seja isso de uma maneira geral, existem outros, mas que não tem tanta relevância no quesito organização do meu dia a dia, mas posso acabar trazendo em algum outro post.

¹https://miniuser.me/8018/gerenciador-de-senhas

banco tradicional

Spoiler: foi péssima a minha experiência.

Quando entrei no empresa, foi aberto uma conta salário em um banco tradicional onde, tive que ir a uma agencia para conseguir realizar a portabilidade do salário para a minha NuConta (Nubank) e lá, fui convencido que, por conta da parceria entre a empresa e o banco, não teria que pagar taxa para um monte de serviços que eles prestavam, até ai ok, decidi abrir uma conta que não demorou 20 mim. Tudo certo né! Não.

Primeiro, entrega do cartão não foi efetuada, tive que ir na agência para pedir uma segunda via e o atendente pediu para voltar em 5 dias que essa segunda via estaria lá na agencia. Fui lá após esses 5 dias e outro atendente me informou que não tinha segunda via pois, o cartão anterior não havia sido cancelado. EU (literal) tive que ligar para a central do banco e pedir o cancelamento da primeira via, esperar um dia para que o pedido fosse processado e só então, pedir a segunda via.

Passaram-se um mês, o salário caiu, fui tentar pagar e adivinha, mais algumas complicações. O app pedia uma senha eletrônica que eu não tinha a menor ideia se alguma vez a registrei, fui em um caixa eletrônico para verificar se tinha que realizar alguma coisa, não pedia nada, então fui em configurações avançadas e tentei cadastrar uma senha, o sistema acusava que já existia uma, tentei mudar, o sistema indicava que já existia uma. Resumindo, tive que digitar a o número do boleto do meu Nubank no caixa eletrônico pois não conseguia pagar pelo app, e isso tudo, sem uma documentação favorável.

Calma que ainda tem mais, a duas semanas fui verificar o extrato da minha conta pois, tinha alguns reembolsos da empresa para cair e olha quem estava lá?! Taxa mensal de conta corrente. Fui até o banco informar a cobrança, o atendente disse que no mesmo dia iria ser estornado e que o problema foi causado pois, minha conta não tinha sido vinculada a empresa.. demorou uma semana para cair. E por último, já faz mais de um mês e meio realizei a abertura da conta e ainda não recebi o cartão definitivo.

Como é a abertura no Nubank: coloca os dados tal qual a abertura em outro banco; espera uns 15 dias para receber o cartão e pronto, seja feliz :)

256

Dia do programador!! Parabéns para mim e mais uma galera.

Oficial na Rússia, o dia 256 no ano é comemorado por alguns motivos, sendo um dos destaques, o total de combinações que se pode realizar com 8bits.. é isso :)

gerenciador de senhas

Depois de um longo tempo relutante em usar um gerenciado de senhas, pois, a ideia de ter minhas senhas registradas em um único local não me agradava, acabei me rendendo (isso a mais ou menos 1 ano). E um dos principais motivos foi usar a mesma senha para vários serviços e ter que trocar a senha, de um monte de serviços que já nem lembrava que tinha, caso uma dessas empresas perdessem meus dados. Além disso, o fato de ter o controle dos serviços que estou registrado, me agradou.

Dispus de um longo período de pesquisa pois gosto de ter certeza que não vou me arrepender em usar aquela ferramenta e depois ter o trabalho de migrar. Os critérios analisados foram os seguintes; privacidade, design, multiplataforma e valor acessível para um estudante.

Acabei chegando ao Bitwarden¹, que para mim, conseguiu cumprir com todos os requisitos que propus avaliar. Segue uma lista dos motivos pelos quais não vou migrar tão cedo para outra plataforma.

  1. Open source - por mais que eu não vá olhar o código, demostra mais credibilidade e transmite comprometimento.
  2. Premium - o custo é bem acessível comparado com solução concorrentes (são apenas US$10,00 por ano).
  3. Multiplataforma - isso pra mim é fundamental já que posso estar com um novo dispositivo a qualquer momento.
  4. Segurança - além do fato de ser criptografado "ponta-a-ponta", você pode adicionar TOTP para acessar sua conta por 'n' maneiras diferentes (por app, e-mail, ou FIDO U2F).
  5. TOTP - ele permite que você adicione 2FA para cada site cadastrado, e isso facilita muito além de economiza um app :)
  6. Notas - permite adicionar notas tanto individualmente para cada serviço, o que simplifica no momento de adicionar senhas de recuperação ou outra nota referente a aquele site, quanto de forma coletiva.
  7. Gerador de senhas - é possível gerar senhas com 'n' fatores diferentes, o que acaba descomplicando na hora de se registrar em um novo serviço.
  8. Relatórios - "Higiene de senha, saúde da conta, e relatórios sobre violação de dados para manter o seu cofre seguro."
  9. Organização - permite criar pastas e organizar as senhas / credenciais.

Já para a utilização, segue alguns dos recursos que eu mais uso e como os uso:

Para a organização, separo basicamente nessa estrutura; critico (tudo aquilo que pode me afetar financeiramente), importante (tudo que aquilo que pode me afetar de alguma maneira), normal (aquilo que não tem muita relevância e posso menos preocupação a respeito) e empresa (todos os serviços que estão relacionado a ela).

Já para o acesso ao serviço (bitwarden), tenho uma senha bem maior que todas as que uso normalmente e TOTP onde, nesse caso, uso um a plataforma Authy (mas não mantenho o app instalado), e o e-mail (uma brecha? talvez) que uso em casos mais urgentes e não tenho tempo para instalar o Authy e autenticar nele.

Como já falei, existe a possibilidade de adicionar o TOTP para cada serviço registrado e isso acabou sendo uma das funções mais utilizadas por conta da facilidade. Além disso, uso também o bloco de notas disponível em cada registro para deixar registrado as chaves de recuperação.

E por último, o uso de Notas para adicionar dados mais importantes e de rara utilização.

¹https://bitwarden.com/

microsoft partners experience tour

Tive a oportunidade de participar de uma maratona que a Microsoft promoveu para os partners, onde, a empresa em que trabalho acabou incentivando a participação e acabei indo. Tiveram duas linhas de cursos, Track Comercial e Track Técnica, me inscrevi na Track Apps & Infra (Track Técnica) já que a disponibilidade para as vagas para Data & AI (minha área de interesse) já estavam preenchidas.

O evento aconteceu no Novotel Morumbi aqui em São Paulo, um ambiente agradável mas não achei a estrutura permitia, de forma confortável, a quantidade de pessoas que o evento tinha. Foram mais ou menos 9 horas de evento por dia, sendo um total de 3, começando com um coffee break as 8:30 e finalizando as 18:00 além do almoço que acontecia entre 11:30 às 13:30 dependendo do grupo de participantes.

Por mais que a ideia inicial era capacitar de maneira mais avançada o que o Azure consegue realizar, uns 30% do que foi apresentado era, como vender tal coisa para o cliente. O instrutor apresentou um pouco sobre a parte física de toda a infraestrutura da Microsoft por de trás do Azure, e uma coisa que não posso negar, a Microsoft tem uma estrutura de servidores incrível.

Uma coisa que me chamou a atenção, e acredito que para muitos a alguns anos, foi que os palestrantes apresentaram a Microsoft como uma parceira do Open-Source, mais especifico em como foi dito, "a Microsoft ama o Open-Source", onde, um dos apresentadores no último dia, estava com uma camiseta com o mascote do Linux.

hello world

Título usado como meio introdutório, instruído por bons professor a sempre começar com o clássico "hello world".

Enfim, bem vindo ao meu blog, meu nome é Daniel de Azevedo Gimigliano e tenho como objetivo aqui, expor um pouco do meu dia a dia, apresentando algumas das ferramentas, gadget, lifehack, etc, que uso onde, tenho como prioridade, o que for open-source, seguro e respeite minha privacidade.

Ainda no ensino fundamental explorando o Linux, despertei o interesse pelo que era desenvolvido pela comunidade e toda filosofia por de trás do open-source. Em privacidade, nunca gostei da ideia de empresas estarem "sabendo o que eu sei ou o que eu vi", juntamente com uma certa influencia do Manual do Usuário¹, procuro alternativas para ferramentas que me proporcionem esse quesito, e para outras áreas, curiosidade foi o primeiro passo. 

¹https://manualdousuario.net/